Planos para encontrar extraterrestres estão sendo feitos pelo governo

O governo está oficialmente se preparando para a descoberta de alienígenas, uma medida descrita como 'muito atrasada' pelo principal especialista em UFOs do Reino Unido.

1.080

Publicada 05 de Junho, 2024 às 11:01

Compartilhar:
>> publicidade : ver novamente <<

Um pedido de liberdade de informação revelou que o Departamento de Ciência, Inovação e Tecnologia (DSIT) está atualmente investigando como irá reagir ao chamado evento do "cisne negro" que está descobrindo vida extraterrestre, incluindo o anúncio da descoberta ao público.

Um evento cisne negro é um evento imprevisível que tem consequências abrangentes, mas, em retrospectiva, parece ser inevitável. O relatório está investigando se já existe um plano, ou nenhuma vez foi tornado público, e como seria um plano caso uma descoberta científica tão surpreendente seja finalmente feita.

O relatório está sendo conduzido ao longo de seis meses e será finalizado em Julho, altura em que um novo governo poderá recebê-lo. Um relatório interno será apresentado ao Secretário Permanente do DSIT estabelecendo recomendações para um plano de ação incluindo oportunidades, desafios e áreas de especialização.

Embora um resumo do trabalho declare que o foco principal do relatório será "o impacto no panorama científico", também considerará o impacto mais amplo. Os humanos têm ponderado a existência de outras formas de vida, pelo menos desde os tempos medievais. Nas últimas décadas, os relatos de UFOs aumentaram, sendo o mais famoso o incidente de Roswell em 1947, quando uma nave supostamente caiu no deserto do Novo México.

Olhando para fora, cientistas de todo o mundo estão concentrados na procura de vida extraterrestre (SETI), examinando os céus em busca de sinais de outros seres, sejam civilizações microscópicas ou avançadas. Caso seja feita uma descoberta definitiva, as ramificações para a ciência, os governos e a sociedade serão significativas, daí que muitos na indústria defendam um melhor planejamento. Uma dessas vozes é Nick Pope, que investigou UFOs para o Ministério da Defesa (MoD).

"Estou muito satisfeito em saber que este estudo está sendo realizado, porque já deveria ter sido feito há muito tempo", disse Pope. "Rumores estão circulando na comunidade científica de que fortes evidências de uma bioassinatura já foram detectadas pelo Telescópio Espacial James Webb, e o que quer que tenha sido encontrado, é muito possível que um anúncio sobre uma bioassinatura ou talvez até mesmo uma assinatura tecnológica seja iminente. Como sempre, é melhor ter um plano e não precisar dele, do que precisar dele e não tê-lo."

Uma bioassinatura é qualquer característica, como um elemento ou molécula, que ofereça evidência de vida alienígena passada ou presente. As assinaturas tecnológicas são qualquer propriedade ou efeito que mostre tecnologia passada ou presente. "O DSIT categoriza corretamente a descoberta de vida extraterrestre como um evento científico do cisne negro", disse Pope. "É sem dúvida o evento científico definitivo do cisne negro.

O impacto social de encontrar vida extraterrestre é impossível de exagerar. Seria sem dúvida a maior e mais importante descoberta científica de todos os tempos, e a mais impactante. Isto é particularmente verdade se encontrarmos vida inteligente, especialmente se interagirmos com ela de alguma forma. Isto teria efeitos profundos em quase todos os aspectos da sociedade, incluindo política, religião, ciência, tecnologia e muito mais. Na pior das hipóteses, podemos estar enfrentando uma ameaça existencial."

Apesar de numerosos países realizarem as suas próprias buscas, há pouca orientação oficial a qualquer nível sobre o que acontecerá no caso de descoberta de vida alienígena ou mesmo de contato. A Academia Internacional de Astronáutica (IAA) desenvolveu uma Declaração de Princípios, um conjunto de diretrizes gerais para tal evento, mas faz pouco além de estabelecer que o sinal deve ser verificado e que o país que faz a descoberta pode compartilhá-lo com o mundo.

Pope, que apresentou o pedido FOI, disse: "A reação da sociedade à Covid, destruindo-se mutuamente por causa de máscaras e vacinas não é um bom presságio, especialmente quando nos lembramos que os governos tinham planos de contingência para uma pandemia global, por isso foi dificilmente um evento imprevisto."

Como as pessoas reagiriam ao encontrar evidências de uma civilização avançada em um planeta orbitando uma estrela próxima? Especialmente, como alguns acreditam, se já estão enviando sondas para cá." O resumo do estudo de caso parece focar na ideia de que a vida seria encontrada além da Terra, observando inúmeras missões com destino a outros planetas na busca.

 "A convergência de rápidos avanços tecnológicos, a expansão do conhecimento sobre a resiliência da vida e a identificação de exoplanetas habitáveis aproximaram-nos mais do que nunca de um avanço monumental. Com missões para estudar as luas de Saturno e Júpiter, e descobertas tentadoras em Marte, estamos cada vez mais perto de descobrir ambientes habitáveis dentro do nosso sistema solar."

Além disso, o estudo dos extremófilos na Terra e o uso da IA para procurar bioassinaturas expandiram a nossa compreensão e capacidades de detecção. À medida que estes fatores se alinham, a descoberta iminente de vida extraterrestre promete revolucionar a nossa compreensão do cosmos e impulsionar-nos para uma era de exploração científica.

Tanto a NASA como a Agência Espacial Europeia (ESA) têm atualmente missões com destino às luas geladas de Júpiter, consideradas por muitos como o melhor lugar para encontrar vida no sistema solar, enquanto no mês passado a agência dos Estados Unidos confirmou que estava progredindo com a sua missão Dragonfly para a lua rica em orgânicos de Saturno, Titã.

Além disso, satélites terrestres e espaciais e antenas de rádio estão continuamente à procura de sinais entre as estrelas, enquanto os rovers em Marte continuam a procurar evidências de vida no Planeta Vermelho. Como o Sr. Pope mencionou, existem rumores de que o Telescópio Espacial James Webb (JWST) já encontrou evidências de vida.

Em setembro, a NASA revelou que o satélite inovador detectou vestígios de sulfeto de dimetila, um composto que na Terra só é produzido pela vida, principalmente pelo fitoplâncton. Muitos argumentam que se ou quando os humanos descobrirem vida fora do seu próprio planeta, esta será microscópica. Talvez sejam os sinais reveladores de bactérias há muito desaparecidas em Marte ou de micróbios que vivem nas profundezas do mar numa lua gelada.

Embora essa descoberta possa não ter o mesmo impacto social que a descoberta de uma civilização avançada, ainda assim será importante. E se os cientistas realmente estabelecerem contato, as ramificações serão ainda maiores.

Pope acrescentou: "Os céticos dirão 'não se pode chegar aqui a partir daí', mas num universo com quase 14 mil milhões de anos poderá haver civilizações lá fora, mil milhões de anos à nossa frente, e quem pode dizer que não imaginaram encontrar uma solução alternativa para o que os cientistas geralmente consideram como a barreira impenetrável da velocidade da luz."

"Espero que o estudo do DSIT inclua informações do Ministério da Defesa, porque embora possa ser altamente confidencial, o Ministério da Defesa pode ter informações que seriam úteis para o DSIT. As implicações desta questão para a defesa e a segurança nacional não devem ser ignoradas." completa Pope.

Fonte: Metro

** Quer participar dos nossos grupos de WhatsApp/Telegram ou falar conosco? CLIQUE AQUI.

VEJA MAIS NOTÍCIAS | Paraná / Brasil / Mundo