Programa de Proteção de Nascentes de Missal visa diminuir a crise hídrica em tempos de estiagem

O município de Missal criou uma lei em 2017 que possui, além desse, outros objetivos que contribuem com o meio ambiente

1.877

Publicada 30 de Abril, 2020 às 14:12

Compartilhar:
>> publicidade : ver novamente <<

Uma prática realizada em Missal há cerca de 20 anos, virou lei no dia 13 de junho de 2017. Trata-se da proteção e recuperação de nascentes, que entre outros objetivos, visa diminuir crises hídricas em tempos de estiagem. No programa, está previsto de 06 a 07 proteções de nascentes, pelo menos, ao ano. Desde 2016, antes mesmo de virar lei, as proteções ocorriam com intensidade, e até o momento foram 22 proteções realizadas com resultados satisfatórios.

Não há informações precisas sobre a vazão de água nos rios em Missal, pois, não há medição por parte da hidrologia da Itaipu Binacional, mas é perceptível o baixo nível dos rios no município, devido a estiagem que a região enfrenta, onde alguns locais sentem, inclusive, uma crise de abastecimento à população, como é o caso de Medianeira.

Segundo informações repassadas pelo Departamento de Meio Ambiente de Missal, com o incentivo financeiro do Município para a proteção, recuperação e preservação de nascentes, percebeu-se a iniciativa de agricultores e escolas na realização de atividades similares por conta própria, sendo que uma escola realizou uma recuperação por conta, estimulando, inclusive, a educação ambiental, despertando a consciência dos alunos.

Produtores Rurais também aderiram a técnica por conta própria, aos poucos vão aperfeiçoando a técnica e realizando a recuperação em mutirão onde os vizinhos se ajudam. O Custo de uma proteção de nascente, gira entre 500 a 550 reais. Essa adesão, permite também, a consciência nos produtores, de realizar as proteções, preservando esse recurso natural indispensável para a sobrevivência das espécies.

Além disso, onde há proteção de nascentes, as famílias são beneficiadas diretamente com água de qualidade em suas propriedades. O Departamento de Meio Ambiente também informou que o Município vem recebendo visitas de outras localidades para contemplação e aprendizado sobre o Programa, que tem o apoio da Itaipu Binacional e Emater.

Lei de Proteção de Nascentes em Missal

A Lei nº 1.382 de 13 de junho de 2017, no artigo 2º, apresenta a proteção e recuperação de nascentes no Plano de Desenvolvimento Agropecuário de Missal. Foi instituído para o atendimento a propriedade rurais, na forma de auxílio de 100% do material necessário para proteção, limitado a uma nascente por propriedade.

Em Missal, cerca de 48% da população vive na área rural. Muitas propriedades utilizam água de nascentes para Descedentação animal (bovinos de leite e corte e suínos), consumo humano, irrigação, limpezas e uso geral. Portanto, a proteção permite que essas propriedades utilizem a água da proteção, não sendo prejudicados em períodos de estiagem, como é o momento atual.

Entre os objetivos da proteção estão: Incentivar o uso consciente da água; preservar as nascentes do Município; recompor a vegetação que margeia as nascentes; incentivar a participação e iniciativa dos agricultores na preservação do meio ambiente; educação ambiental para crianças da rede pública de ensino; incentivar a participação de voluntários na preservação do meio ambiente; proporcionar água de qualidade para abastecimento; e, diminuir a crise hídrica em tempos de estiagem.

TÉCNICA SOLO-CIMENTO

A técnica utilizada na proteção de nascentes em Missal é solo-cimento. Num primeiro momento, é feita a limpeza para identificação do olho d'água e a retirada da terra assoreada sobre a nascente, juntamente com folhas e raízes, chegando em terra firme ou na laje. Abre-se uma pequena vala para esgotamento do depósito, se possível utilizando ferramentas manuais, evitando ao máximo danos à vegetação local.

Após, é feito o revestimento das paredes com a liga e constrói-se uma taipa (barragem) para formar o reservatório já com o a introdução dos canos: Limpeza 100mm; Consumo 25mm; e, Ladrão 50mm. Em seguida, é feito o preenchimento do reservatório (caixa de coleta) com pedra ferro e brita (basáltica) e selado com o solo-cimento.

É importante observar que o reservatório para uso da água, deve estar fora da área da nascente, em caixas de PVC, evitando o represamento sobre o olho da água e permitindo que o fluxo de água corra livremente.

A água protegida sai limpa pelos canos logo em seguida. Na parte superior é introduzido um cano 20mm para descontaminação/desinfecção do interior da mina. Fecha-se todos os canos de saída de água da nascente, colocando de 50 a 100 ml de água sanitária.

É necessário aguardar cerca de 2 horas e abrir o cano de limpeza (cano 100 mm). Repete-se o processo de fechamento e abertura dos canos até que a água sanitária saia totalmente, isso a cada 6 meses. E por último, é feita a recomposição da vegetação nativa no entorno da nascente recuperada.

Assessoria

** Envie notícias, fotos, vídeos e sugestões para o Guia Medianeira pelo WhatsApp CLICANDO AQUI.

Tudo Medianeira - Guia Empresarial

Lista telefônica empresarial

Oliver´s Som

(45) 3264-2458

(45) 99561-369

Rua Alagoas, 1454 - Ipê

Jackson Garcia Advocacia

(45) 3264-5273

(45) 99808-8188

Av. João XXIII, 1888 Sala 02 - Centro

VEJA MAIS NOTÍCIAS | Missal