Suicídio, Jogo da Baleia Azul e Os Treze Porquês - Saiba mais sobre os temas que invadiram as redes sociais

Entrevista exclusiva com o Psiquiatra Ricardo Vinicius de Campos, confira os fatores, sinais e principais causas que levam uma pessoa a tirar sua própria vida.

15.973

Publicada 20 de Abril, 2017 às 12:35

Compartilhar:
>> publicidade : ver novamente <<

As últimas semanas tem sido um pouco preocupantes em relação ao assunto suicídio. As redes sociais e sites de comunicação foram invadidos por notícias de pessoas que estão tirando suas vidas por influência de um jogo chamado Baleia Azul. 

O lançamento da série ?Os Treze Porquês? também trouxe o assunto à tona, levantando questionamentos e diversas opiniões. 

Medianeira é um polo regional em desenvolvimento. Na área da saúde estamos se tornando cada vez mais conceituados, mas ainda há falta de alguns profissionais. Até então, um desses profissionais era o psiquiatra. 

Mas recentemente, o médico psiquiatra Ricardo Vinicius de Campos mudou-se para Medianeira e irá atender toda a região dentro de sua especialidade. 

?Mudei para cá a convite de outros médicos. A cidade nunca teve um psiquiatra que residisse aqui, e os atendimentos sempre foram feitos por profissionais que se deslocavam de outras cidades e realizavam consultas periódicas. O tratamento psiquiátrico é diferente de outras patologias, é preciso cuidados diferenciados e um acompanhamento próximo com profissionais presentes, isso faz com que o tratamento tenha mais resultados?, explica ele.

JOGO DA BALEIA AZUL 

Na última semana um jogo tomou conta das redes sociais, e o que mais chama a atenção são as conseqüências do jogo. 

Chamado de Jogo da Baleia Azul, o game consiste em realizar 50 itens, com o direcionamento de um tutor escolhido pelo jogo, que indicará a melhor forma de realizar as tarefas. A última dessas tarefas é tirar a própria vida. 

Entre filmes de terror, músicas perturbadoras, automutilação, o jogo perturba. No Paraná, cinco vítimas estão tendo seus suicídios investigados, por haver suspeita de terem participado do jogo. A maioria das vítimas são pré-adolescentes, adolescentes, persuadidos a fazerem parte e jogarem. 

O Doutor Ricardo comenta que quando surgiu o jogo, no ano de 2013, existe uma grande possibilidade de ter sido apenas uma notícia fake, que através de tantos compartilhamentos acabou se tornando uma realidade.

"O jogo esta acometendo uma população muito especifica. Uma criança que tenha um bom suporte familiar, não tenha transtorno de humor, que se relaciona bem, que tenha amigos, com certeza essa criança, esse adolescente pode até tomar conhecimento do jogo, mas ele não vai dar continuidade. Dependendo do momento em que aquela criança, aquele adolescente esta vivendo, ele vai deixar-se 'encantar' pelo jogo, se tomar pelo jogo, esse é o problema. Se o jogo for mostrado para qualquer pessoa que não tenha nenhum fator de predisposição ao suicídio o jogo não vai dar certo".

E ainda: ?Agora uma criança com um ambiente familiar desestruturado, não precisa estar necessariamente em um episódio depressivo, ou de transtorno de humor, isso pode se tornar um motivo para ela participar do jogo?.

OS TREZE PORQUÊS

No último mês, o livro de Jay Asher, Os Treze Porquês, foi lançado em forma de série, na plataforma da Netflix. 

O seriado conta a história de uma menina que antes de se suicidar grava fitas cassetes com os motivos dos quais fizeram ela tirar a própria vida, ao total são treze pessoas. Entre as cenas mais polêmicas da série, o ato de suicidar-se foi mostrado sem cortes e filtros, o que dividiu a opinião de muitas pessoas. 

Algumas pessoas não gostaram da forma romântica em que o suicídio é tratado no seriado, já outras acham viável por ser preciso falar do assunto. 

O psiquiatra deu seu parecer como profissional e como pai: ?Eu concordo que o romantismo em cima da questão do suicídio foi muito falho na série, pela direção do seriado, mas por outro lado é algo que precisa ser mencionado. O suicídio ainda é um tabu, o transtorno mental e psiquiátrico ainda é um tabu, mas a partir do momento que você tem um seriado mostrando o assunto, esbarramos em todos os fatores de risco, se você vê seriado e está em um ambiente desfavorável, ele se tornará algo que propícia e influência você a fazer a mesma coisa.  Se você tem uma boa estrutura, está sem fator de risco naquele momento, bem psiquicamente falando, será como um alerta?.

Tantos as famílias que foram contra devido a questão cinematográfica romântica do seriado estão certas, tanto quanto os que disseram ser importante falar sobre. 

ATENDIMENTO PSIQUIÁTRICO 

Diferenciado e delicado, a especialidade da psiquiatria é uma das mais importantes para se compreender o ser humano. O tabu é muito grande a cerca de problemas mentais, transtornos de personalidade e humor, e muitas pessoas ainda não entendem o quão essencial é esse assunto: 

?Nas consultas uma das principais perguntas é: Você já tentou suicidio? Já pensou em se suicidar? Tem alguém na família ou próximo que tenha cometido suicidio??, explica o médico. 

Essas perguntas são importantes porque determinam fatores de risco que podem direcionar o paciente a um quadro de diagnóstico mais preciso. 

?A pessoa pode até responder que não, mas se ela tem alguém na família que tirou a própria vida, e essa pessoa passar por um episodio de transtorno de humor ela tem maior chance de cometer o suicídio, de pensar em suicídio", destaca. 

No ano de 2016, mais de dez pessoas se suicidaram em Medianeira. A liberdade de imprensa, possibilita cada meio de comunicação publicar ou não estes casos como notícia. Há dez anos o posicionamento do Guia Medianeira é de não informar esses casos, para não expor a vítima, nem a família. Mas nem por isso deixaremos de falar sobre o assunto de uma forma responsável como esta entrevista com o Psiquiatra Doutor Ricardo. 

FATORES QUE LEVAM ALGUÉM A COMETER SUICÍDIO

Para que seja possível termos um maior conhecimento sobre o assunto, Doutor Ricardo exemplificou alguns fatores que podem ser pré-disposições para que isso aconteça: 

1- Um dos fatores de maior peso é a hereditariedade, a genética. Ou seja, se alguém da sua família fez isso, a pré-disposição é maior.

2- Fatores do dia a dia, como conseguimos se adaptar as nossas mudanças ruins, como agimos perante a dificuldades e como levamos a vida. 

3- Uso de substâncias psicoativas, seja álcool, mesmo que de forma moderada no dia a dia, abuso de drogas mais pesadas. Segundo o profissional isso destrói suas barreiras de defesa, te enfraquecem, se tornando um fator.

4- Falta de lazer, esportes, você ter algo que te ajude a manter a saúde não só corporal, ajuda na saúde psíquica. Ir para um trabalho, do qual você não gosta, com um chefe que está te perseguindo. Sair desse trabalho, lidar com problemas pessoais, familiares. Fazer tudo isso e não ter algo para ser sua válvula de escape, isso agrava o quadro. 

É preciso ter um tempo para si mesmo, é preciso refletir sobre seus pensamentos e formas de lidar com a situações. Esse é o papel da terapia, cuidar-se de si mesmo. Quando o paciente diz que não acredita em psicólogo, em terapia, isso dificulta. Isso faz parte do tratamento, combinado com medicação, e é fundamental: ?É naquele momento de 45 minutos semanais ou mais frequentemente que você terá um tempo para você mesmo?.

Somando tudo isso, com fatores estressantes, sua história de infância e pré infância, o resultado pode ser um transtorno de humor.

O transtorno que mais leva as pessoas a cometerem suicídio, tentaram ou pensarem, é a depressão. Mas também há outros, como a bipolaridade, esquizofrenia sem tratamento, entre outros. 

SINAIS E SINTOMAS

Quando o assunto é depressão, e como notar os sinais, não podemos pensar apenas naquela pessoa que fica trancada no quarto o dia todo chorando: ?A grande maioria das depressões são em pessoas que estão mantendo um ritmo de vida aparentemente normal?, explica o especialista. 

Há outro forte tabu, de que a depressão é uma fraqueza, ou ainda falta do que fazer, falta de coisas para se ocupar, ou quando são crianças é falta de disciplina, educação mais rígida ou até mesmo violência física, como a famosa ?falta de chinelada?. 

?A pessoa não precisa demonstrar essa fraqueza no ambiente familiar, mas então que demonstre para um profissional que possa ajudá-lo. Procure ajuda.Seja no início com um psicólogo, que provavelmente ele vai encaminhar para um psiquiatra?.

São inúmeros sinais que podem ser percebidos aos poucos: ?O individuo frequenta o ambiente social sem muito prejuízo, trabalha, mas aos poucos começa a se isolar, mudar seus sentimentos e atitudes. Não conversa mais tanto com os familiares ou amigos como antes, seja por telefone, redes sociais ou pessoalmente. Isso são maneiras sutis de demonstrar que algo está errado. Aquela pessoa que comenta que está cansada da vida, tendo mais pensamentos negativos, com muita desesperança. Insônia, sonolência excessiva. Depende de cada organismo, a depressão vai se instalando e se mostrando de várias formas diferentes. Cada pessoa demonstra de uma forma. Chorar o tempo todo também é um critério de diagnostico?. 

Também há mudança brusca de visual, cores das roupas, falta de cuidados pessoais: ?E não é porque apresenta alguma dessas coisas que está com depressão, por isso é de suma importância procurar um profissional da área para que um diagnóstico possa ser feito, através de fatores médicos e não de suposições?, frisa Ricardo. 

O QUE PODEMOS FAZER PARA AJUDAR OU EVITAR?

?Para os pais é simples: participe mais da vida de seus filhos. Eu como pai posso dizer isso, sei que muitas vezes o dia a dia não nos permite participar mais ativamente da vida deles, mas precisamos aumentar essa presença de alguma forma?. 

Os pré-adolescentes e adolescentes, precisam de um contato maior, um vínculo saudável: ?Sabemos que essa fase é complicada e muitos agem com rebeldia, e passamos a nos distanciar dos filhos. Essa é a hora em que mais precisam, insistam, participem".

Manter um bom vínculo ou tentar, pode ser uma forma de acompanhar as mudanças de comportamentos mais bruscas, dentro de tudo que já foi citado aqui, prestando bastante atenção nos fatores: "Busque saber o que está acontecendo na tela do computador e do celular, principalmente por trás delas". 

IMPORTÂNCIA DA COMPRESSÃO E RESPEITO 

Importante lembrar que cada organismo reage de um jeito, existem fatores que podem determinar um diagnóstico, mas cada pessoa é única, e cada organismo reage de uma forma a depressão ou possíveis transtornos de humor. 

Doutor Ricardo comenta sobre as três principais coisas que ouve em seu consultório: ?A primeira coisa que ouço é ?eu não sou louco, estou aqui porque minha família insistiu para eu vir?, a segunda é ?porque eu não vim antes?, e a terceira ?eu não acreditava nessa tal de depressão, achava que era falta do que fazer, falta de surra, só depois que passei por isso entendi realmente o que era??. 

O tema da Organização Mundial da Saúde neste ano são os problemas mentais, com foco principal na Depressão, que é uma das doenças que mais tem feito vítimas no mundo todo. Além da depressão, a bipolaridade e a ansiedade também: ?Existe tratamento, é preciso fazer este acompanhamento, geralmente, leva-se em torno de um ano e meio a dois. Sempre combinado com psicoterapia. Ainda esbarramos numa questão cultural muito grande, as pessoas acham que esses problemas são falta do que fazer, ou falta de disciplina. NÃO! Qualquer um pode ser atingido por esse mal, ninguém está livre disso". 

Também há outro aspecto que precisa ser mudado na compreensão de todos: 

"As pessoas dizem que quem quer se matar não diz para Deus e o mundo. É o contrário, a pessoa que quer se matar e pensa em se matar, na grande maioria das vezes, fala sim que irá fazer isso, dá indícios e sinais de querer terminar com a própria vida. De uma maneira ou de outra, aquela pessoa está pedindo a sua ajuda, pedindo ajuda de familiares. Também não podemos deixar de citar, que quem não fala sobre também possa tirar a própria vida". 

O QUE FAZER QUANDO DESCOBRIMOS QUE ALGUÉM QUER COMETER SUICÍDIO 

Primeiro de tudo, procurar ajuda profissional. O profissional irá direcionar o tratamento, o diagnóstico, e todo o processo de reparação de danos em que a doença e os transtornos estão causando. 

Mas a melhor forma de ajudar alguém que tem algum tipo de problemas como este, que levam a pensar em tirar a própria vida é apoiar, cuidar, amar, dar carinho, tentar entender o momento que ela está passando. 

?Um tratamento pode contar com a participação da família, ou das pessoas que fazem parte do cotidiano do paciente. Em alguns casos posso contatar essas pessoas, como por exemplo, um paciente que chega ao consultório já com um planejamento suicida. Mas fora isso, sempre busco conversar com quem faz parte da vida do paciente, para entender o meio em que ele vive, para ter mais informações, para orientar, e nesses momentos, nada do que paciente me conta é informado, apenas quando a vida dele está em risco?. 

Ir até o profissional e relatar o que está sentindo é de suma importância, às vezes pode-se pensar que é apenas um estresse ou uma ansiedade, e um médico qualificado pode diagnosticar doenças como a depressão e seus diversos níveis. 

O psiquiatra também recomenda que as pessoas não se auto mediquem para tentar amenizar alguma coisa: ?Não consegue dormir, ai compra um faixa preta. Está comendo demais, compra um inibidor de apetite, para que o problema amenize é preciso ir a fundo e descobrir porque esse sentimento está ali presente. E isso apenas um profissional pode identificar". 

As primeiras entrevistas com o psiquiatra são muito importantes: " É necessário avaliar o paciente como um tudo, inclusive com exames detalhados, como exames de sangue, ressonâncias, que podem identificar doenças que podem desencadear alguns sintomas que são parecidos com a depressão e transtornos de humor. É preciso descartar todas as patologias orgânicas, é então se iniciar um tratamento. É algo simples, mas é preciso ser feito, independentemente da idade?. 

SE ALGUÉM ESTÁ DECIDIDO A SE MATAR TEM COMO MUDAR ISSO?

 ?Tem que trabalhar com essa pessoa, tem que tratar essa pessoa, muitas vezes precisamos sim de internação psiquiátrica, as vezes a própria família não tem condições de manter esse paciente em vigilância durante 24 horas. Qualquer objeto pode ser uma arma para quem está decidido a tirar a própria vida, se nada faz com que ele mude de ideia, é necessário o internamento, é preciso uma equipe especializada que cuide dele durante o tempo todo. Ninguém toma essa decisão sem estar doente, não podemos esquecer disso?. 

Para salvar alguém do suicídio a formula é exata: amor, afeto, carinho, compreensão e ajuda profissional. Independente de idade, o suporte familiar, o círculo de amizade e o tratamento especializado. 

?Toda pessoa precisa de tratamento psiquiátrico quando em alguma esfera da vida ela está tendo prejuízo, seja na esfera familiar, social, profissional, amorosa. E algo muito muito importante de se lembrar, uma pessoa que pensa em suicídio, e não procura tratamento, não está em tratamento, ela irá se matar, de um jeito ou de outro, em uma hora ou outra?.

ATENDIMENTOS 

O médico, Doutor Ricardo, tem agenda aberta para pacientes em todos os hospitais de Medianeira, e alguns da região, nas cidades de Missal, São Miguel do Iguaçu e Santa Helena. 

Para marcar uma consulta entre em contato com os hospitais de Medianeira e da região e peçam ajuda, procurem ajuda, a sua vida vale muito e precisa ser valorizada. 

Os hospitais de Medianeira também disponibilizaram leitos, para casos que haja necessidade de internação o procedimento seja feito aqui. 

O psiquiatra também está sobre aviso e qualquer emergência na área será atendida por ele. 

Ricardo Vinicius de Campos

CRM: 21443

RQE: 17683

Redação Guia Medianeira 

Guia Empresarial

Lista telefônica empresarial

Dedetizamed

(45) 3264-2629

(45) 99810-2698

Rua Santa Catarina, 2370

Farmácia e Ortopédicos N. Sra. Aparecida

(45) 3264-4873

(45) 99967-0829

Av. Brasília, 1183

VEJA MAIS NOTÍCIAS | Medianeira