PF deflagra a 5ª fase da Pecúlio e prende 12 dos 15 vereadores de Foz

Operação foi deflagrada em cidades do PR, Pernambuco e Distrito Federal. Ação investiga irregularidades em processos licitatórios em Foz do Iguaçu.

3.560

Publicada 15 de Dezembro, 2016 às 09:03

Compartilhar:
>> publicidade : ver novamente <<

Doze dos quinze vereadores da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, foram presos na manhã desta quinta-feira (15) durante a 5ª fase da Operação Pecúlio, deflagrada pela Polícia Federal (PF). 

Segundo a PF, dez vereadores foram presos preventivamente, quando não há prazo definido para que os investigados deixem a prisão, e dois temporariamente, quando há prazo para a permanência na prisão, podendo ser prorrogada ou convertida em preventiva.

Foram presos os vereadores:

Anice Gazzouiu

Beni Rodrigues 

Darci "DRM"

Edílio Dall'Agnol

Fernando Duso

Hermógenes de Oliveira

Zé Carlos

Luiz Queiroga

Marino Garcia

Coquinho

Paulo Rocha

Rudinei Moura

O G1 tenta contato com a defesa dos vereadores presos.

A operação foi batizada de "Nipoti" e investiga irregularidades em processos licitatórios de prestação de serviços e realização de obras para a prefeitura de Foz e desvio de recursos na Câmara Municipal.

Ao todo, foram expedidos 78 mandados judiciais, sendo 20 de prisão preventiva e 8 de prisão temporária, em Foz do Iguaçu, Curitiba, Cascavel, Maringá, e Pato Branco, no Paraná, e em Recife e Brasília.

De acordo com as investigações, somente em algumas obras de pavimentação em Foz do Iguaçu foram constatados prejuízos em torno de R$ 4,5 milhões. "Ainda sem levar em consideração o prejuízo potencial em razão da péssima qualidade das obras, o que reduzirá consideravelmente o tempo de vida útil destas", declarou a PF.

Além dos mandados de prisão, também estão sendo cumpridos 11 ordens de condução coercitiva, que é quando o investigado é levado para prestar depoimento, e 39 de busca e apreensão.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas em residências e locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao grupo criminoso.

A prisão temporária tem prazo de cinco dias e pode ser prorrogada pelo mesmo período ou convertida em preventiva, que é quando o preso fica detido por tempo indeterminado.

A PF explicou que o nome da operação - Nipoti - é um substantivo comum de dois gêneros da língua italiana, que significa sobrinhos ou netos. E que a palavra nepotismo tem origem na palavra nepos, nepote, do latim, que se prende à ideia de descendência, parentesco, assumindo o sentido de favoritismo para com parentes.

Fonte: G1

Guia Empresarial

Lista telefônica empresarial

Refrigeração Chaves

(45) 3264-4586

(45) 99821-6538

Av. Brasil, 1093

Portal Medianeira

(45) 3264-6107

Rua Rio Branco, 1270

VEJA MAIS NOTÍCIAS | Cotidiano