Influência das chuvas nas águas de piscinas

73.381

Publicada 18 de Dezembro, 2017 às 14:55

Compartilhar:
>> publicidade : ver novamente <<

O maior desafio para piscinas residenciais é manter a piscina sem algas em longos períodos de chuva ou mesmo com as chuvas de verão.

Na maioria das piscinas, durante os longos períodos de chuva é normal vê-la sem nenhum usuário, como se estivessem abandonadas. Mas se observarmos no microscópio, as piscinas durante este período ficam infestadas não de banhistas, mas de micro-organismos trazidos com a chuva chamados de algas.

As algas são responsáveis pela coloração esverdeada das piscinas, podendo ser também de cor marrom e até preta. A alga preta gosta de se desenvolver nos rejuntes de piscinas de alvenaria, deixando mesmo após sua remoção uma coloração preta em todo rejunte. É muito difícil de ser removida por completo por que ela desenvolve raízes que penetram no mesmo e voltam a crescer quando a taxa de cloro livre ficar muito baixa. 

Alguns procedimentos inevitáveis são necessários para mantê-las afastadas, ou melhor, para que não se desenvolvam. Iniciando com o balanceamento da agua.

Água balanceada é aquela que não produz irritação nos olhos e mucosas dos banhistas, não corrói equipamentos, cimento ou argamassa, não deposita incrustações e assegura a eficácia na ação dos produtos químicos. Obtém-se água balanceada mantendo o pH, a alcalinidade total, cloro livre e a dureza cálcica dentro da faixa ideal. 

 O cuidado especial deve ser dado ao controle da ALCALINIDADE e do PH (Potencial de Hidrogênio da água). Primeiro deve ser corrigida a ALCALINIDADE uma vez que ela interfere no PH. A ALCALINIDADE TOTAL deve estar entre 80 e 100 ppm, depende do tipo do cloro que estará utilizando pode chegar até 120 ppm. O PH deverá ser mantido entre 7.2 e 7.6 ppm.  Na maioria das vezes a água da chuva contém PH baixo, pois com a poluição presente na atmosfera tem uma tendência a ser um pouco ácida. Manter o CLORO LIVRE na faixa ideal é o terceiro procedimento inevitável para evitar aborrecimentos com algas. Mesmo que esteja chovendo e a piscina sem uso a cloração deve ser feita normalmente. De 3 a 4 g de cloro para cada 1.000 litros de agua em dias alternados. Quando houver previsão de chuvas muito intensas poderá ser adicionado 2 g de cloro a mais para garantir que não terá proliferação das algas trazidas pelas chuvas. A DUREZA CÁLCICA deve ser corrigida pelo menos uma vez ao ano. Deverá ser mantido um mínimo de 3 ppm de cloro livre. A adição de ALGICIDA OU ALGISTATICO também deve ser respeitada em pelo menos uma vez por semana.  A filtração da água deverá ser feita todos os dias por um período mínimo de 6 horas. Este procedimento representa 50% do tratamento da água. 

Os procedimentos de limpeza como a aspiração durante as chuvas devem ser contínuos para manter a higienização  e a beleza de seu jardim.

Clarice L. Eidt

Arquiteta e Urbanista CAU: A121365/2

Cristale Piscinas - Av. João XXIII - (45) 3264-0228 / (45) 9935-1770

Guia Empresarial

Lista telefônica empresarial

Pet Shop - Espaço Animal

(45) 3264-4108

(45) 99904-1941

Rua Minas Gerais, 2047

Nei Motos

(45) 9994-13181

(45) 99941-3181

Av. Brasília, 330 Conda